Outras Notícias

Artistas pela Paz - VN Gaia 2017

Abre amanhã, 8 de Julho, pelas 10 horas a exposição Artistas pela Paz, com obras de 31 artistas (pintura, escultura e fotografia) integrada na II Bienal de Arte Internacional Gaia 2017. Estará patente ao público até 30 de Setembro.

Esta exposição de 31 obras de artistas empenhados na Paz, resulta de uma parceria ente o Conselho Português para a Paz e Cooperação e a Cooperativa Cultural Artistas de Gaia. Conta com o apoio da Câmara Municipal de Gaia.

A curadoria da exposição da Paz é de Ilda Figueiredo e Mirene.

Estão todos convidados para a inauguração.

Pela paz, pela justiça social!

Solidário com os objectivos do Dia Nacional de Luta convocado pela CGTP-IN com o lema “Unidos para valorizar o trabalho e os trabalhadores”, em defesa da soberania, da justiça e do progresso social, o Conselho Português para a Paz e Cooperação participará, e convida todos a participar, nas manifestações convocadas para Lisboa e Porto no próximo dia 3 de Junho.

O ponto de encontro para os amigos que queiram participar com o CPPC será:

-Em Lisboa pelas 15h no Parque Eduardo VII, junto ao Marquês de Pombal e da Rua Joaquim antónio de Aguiar.

-No Porto pelas 15h junto à sede da Junta de Freguesia do Bonfim.

Apresentação do livro "Décadas de Luta pela Paz" no Porto

 

O livro «Décadas de Luta pela Paz» foi apresentado, segunda-feira, 5, no Porto, numa sessão realizada na Casa do Infante que contou com a participação do historiador e professor universitário Manuel Loff, o coordenador do grupo de trabalho que elaborou o livro, Gustavo Carneiro, e a presidente da direcção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, que assumiu a condução dos trabalhos.

Nas intervenções proferidas sublinhou-se a importância da obra em trazer para a actualidade aquelas que são causas antigas e de inegável importância, como a paz, o desarmamento e a solidariedade aos povos que enfrentam a agressão, a ingerência ou a opressão. Salientada foi também a abrangência que o movimento da paz alcançou - em questões como a exigência do desarmamento nuclear ou a solidariedade com os povos da África Austral ou Timor, entre muitos outros - e os valores que desde sempre o nortearam, e que são hoje mais actuais do que nunca.

Os oradores realçaram ainda o papel dos valores inscritos na Constituição da República Portuguesa e na Carta das Nações Unidas para a salvaguarda da paz e da segurança internacionais e na garantia dos direitos nacionais dos povos.

Pela Paz! Pelo direito à infância!

No Dia Internacional da Criança, que hoje se assinala, o Conselho Português para a Paz e Cooperação reafirma o seu apego aos direitos consagrados na Declaração Universal dos Direitos da Criança, aprovada pelas Nações Unidas em 1959, que lhes atribui o direito à igualdade, à alimentação, à habitação, à saúde, à educação gratuita, ao lazer, à protecção social, a socorro prioritário em caso de catástrofe, a protecção especial visando o «desenvolvimento físico, mental e social», contra o abandono e o trabalho infantil, e a «crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos».

Ler mais...