declaracao do cmp sobre a recente intensificacao das tensoes entre azerbaijao e armenia 1 20200929 1915223998
 
Conselho Mundial da Paz (CMP) apela ao fim de todas as hostilidades entre o Azerbaijão e a Arménia, apelando à resolução pacífica do conflito e repudiando qualquer ingerência.
Leia a seguir:
Declaração do CMP sobre a recente intensificação das tensões entre Azerbaijão e Arménia
O Conselho Mundial da Paz (CMP) expressa sua profunda preocupação pela recente escalada das tensões entre Azerbaijão e Arménia, em disputas transfronteiriças na região de Nagorno-Karabakh, que resultaram em mortos dos dois lados, inclusive civis. Este conflito, originado há mais de 30 anos, é uma questão complicada em que várias potências regionais e globais estão indiretamente envolvidas.
 
O CMP denuncia e condena toda a intervenção estrangeira, seja ela de provocação e intensificação das tensões ou de participação direta ou indireta no próprio conflito, e exige o fim das ações tomadas por certas forças até o momento.
Não é segredo que a área específica e a região mais ampla são do interesse geoestratégico de países poderosos e pelo controlo de recursos energéticos e vias, como se observa no Médio Oriente, Norte de África e no Mar Mediterrâneo oriental.
O CMP está ciente da complexa história do território disputado e preocupa-se com as sérias consequências que a deflagração do conflito entre os dois países tem, para os seus povos e para os povos de uma região já conturbada.
Reconhecendo a real possibilidade de tal conflito poder escalar para uma guerra de maiores proporções, o CMP apela:
A um cessar-fogo imediato e ao fim de todas as hostilidades;
Ao retorno ao diálogo entre as partes envolvidas, para que procurem uma resolução política e negociada para o conflito;
A mobilização ativa das forças da paz nos dois países e na região para impedir que a histeria belicista se estabeleça e para promover a possibilidade de uma resolução pacífica.
O CMP acredita que apenas as condições acima podem defender os interesses do povo do Azerbaijão e da Arménia contra os planos imperialistas e pela paz na região.