Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

FacebookTwitterRSS Feed

É com grande satisfação e esperança que as forças anti-imperialistas e da paz saúdam o mais recente evento da reaproximação entre os líderes coreanos, o Encontro de Alto Nível Coreano na Casa da Paz, em Panmunjom, em 27 de abril, que resultou em um consistente e auspicioso compromisso.

"Não haverá mais guerra na Península Coreana e assim se inicia uma nova era de paz", afirma a declaração bilateral do encontro. Fica evidente que o desejo do povo coreano é a paz, a prosperidade partilhada e a unificação.

O momento é de grandes expectativas e reflete o compromisso dos líderes coreanos com a superação de seis décadas de conflito e divisão. Também traz a esperança mais imediata e urgente de desarmamento nuclear à região, compromisso já expresso pelo líder da República Democrática Popular da Coreia Kim Jong Un.

A Coreia Popular tem exercido seu direito a defender sua soberania contra as ingerências, as ameaças, a propaganda agressiva e a política ofensiva de isolamento e sufocamento da sua economia, uma política que se exerce por meio de exercícios de guerra recorrentes, declarações inflamatórias cotidianas e sanções sistemáticas. As potências imperialistas que promovem tal política apostaram, durante décadas, na desestabilização e na ameaça de guerra.

O Conselho Mundial da Paz tem reiteradamente manifestado sua solidariedade ao povo coreano na busca pela reaproximação entre a República Popular Democrática da Coreia e a República da Coreia, livre da ingerência estrangeira. Também tem manifestado seu apoio aos esforços pela paz na região, pela estabilidade e o fim das ameaças de guerra.

Viva a luta a fraternidade entre os povos e a luta pela paz!
Pelo fim da guerra e da divisão da Coreia, vontade expressa do povo coreano!

Socorro Gomes
Presidente do Conselho Mundial da Paz