Outras Notícias

No dia em que se assinalam 50 anos da ocupação militar israelita, em 1967, dos territórios palestinianos da Cisjordânia, da Faixa de Gaza e de Jerusalém Oriental, e também dos Montes Golã sírios, de parte do Sinai egípcio e das Quintas de Shebaa libanesas, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) reafirma a sua solidariedade e determinação de prosseguir a sua histórica intervenção pela justa causa do povo palestiniano.

Evocar meio século de ocupação da totalidade da Palestina, que se seguiu a uma primeira vaga de expulsão dos palestinianos com a criação do Estado de Israel, em 1948, é denunciar os sucessivos crimes e massacres cometidos contra a população palestiniana; é recordar as aldeias arrasadas, as terras roubadas, as casas demolidas; é lembrar os milhares de presos, incluindo crianças, e os milhões de refugiados espalhados pelo mundo; é ter presente a humilhação diária que é imposta às populações palestinianas, com os colonatos, os postos de controlo, o muro de segregação, o cerco à Faixa de Gaza, e as dramáticas condições de sobrevivência que são impostas pelas autoridades israelitas e a sua política sionista ao povo palestiniano.

Estas últimas décadas ficam ainda marcadas pela tenaz resistência do povo palestiniano, que se bate corajosamente contra a ocupação israelita e prossegue a sua luta quotidiana pelos seus inalienáveis direitos nacionais. Uma firme e inabalável resistência que tem contado no mundo com a solidariedade das forças da paz, da libertação nacional e do progresso social. Incluindo em Israel, onde o movimento pela paz e as forças progressistas lutam pelo fim da ocupação israelita, pelo cumprimento do direito internacional, pela paz e a estabilidade no Médio Oriente.

O CPPC assumiu desde sempre a defesa dos direitos do povo palestiniano, ao dinamizar um vasto conjunto de acções – de dimensão e expressão nacional e internacional – de denúncia e condenação da ocupação israelita, de afirmação do direito do povo palestiniano ao seu Estado e por uma paz justa no Médio Oriente. Pela sua importância e impacto internacional a realização, destaca-se a realização da Conferência Mundial de Solidariedade com o Povo Árabe e a Palestina, em Lisboa, em 1979, na qual participou Yasser Arafat, Presidente da Organização da Libertação da Palestina (OLP), que se deslocou então e pela primeira vez a um país Ocidental da Europa. O CPPC promoveu, por iniciativa própria ou em parceria, inúmeras conferências, seminários, debates, manifestações, concentrações e petições, visitas e missões ao Médio Oriente, incluindo aos territórios palestinianos ocupados, e, sobretudo, uma regular acção de esclarecimento que contribuiu para alargar o campo dos portugueses solidários com a Palestina e a luta do seu povo contra as agressões e ocupação militares de Israel.

Seguro da justeza da causa do povo palestiniano e do caminho de solidariedade trilhado, o CPPC reafirma o seu compromisso de continuar a intervir pelo fim da ilegal ocupação israelita e a criação de um Estado palestiniano independente e viável nas fronteiras anteriores a Junho de 1967, com capital em Jerusalém Oriental e o respeito pelo direito ao regresso dos refugiados, no cumprimento do direito internacional e de sucessivas resoluções das Nações Unidas.

5 de Junho de 2017
Direcção Nacional do CPPC