Outras Notícias

Declaração do Conselho Mundial da Paz acerca da recente resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre a RPD da Coreia

O Conselho Mundial da Paz (CMP) expressão a sua séria preocupação com a recente resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas, de 5 de Agosto (2371/2017) de impor sanções contra a República Popular Democrática (RPD) da Coreia e o seu povo.

O CMP reafirma a sua firme solidariedade com o povo coreano e o seu direito a decidir sem ingerências o seu futuro, ao mesmo tempo que rejeitamos e denunciamos as ameaças efectuadas pela Administração norte-americana e seus aliados na região contra a soberania da RPD da Coreia. Condenamos os exercícios militares dos EUA, Coreia do Sul e Japão na região e também a presença de 28 000 militares norte-americanos no Sul da Península Coreana. A instalação do sistema anti-míssil (THAAD) dos EUA na Coreia do Sul constitui mais um passo na estratégia de escalada das ameaças, pretendendo permitir aos EUA a hipótese de um primeiro ataque impedindo uma retaliação.



O CMP é a favor da abolição de todas as armas nucleares do mundo, mas não aceitamos a profusa propaganda unilateral contra o “programa nuclear” da RPD da Coreia, Apoiamos e exigimos a solução pacífica do diferendo entre os EUA e a RPD da Coreia e a substituição do Acordo de Armistício de 1953 por um acordo abrangente de paz entre as duas partes.

Sempre nos opusemos ao isolar da RPD da Coreia com mais sanções que prejudicam o seu povo e são, na realidade, uma forma de agressão ou de preparação para um intervenção militar, como provam os exemplos do Iraque e da Líbia.

As preocupações legítimas da RPD da Coreia não podem ser respondidas com sanções e ameaças, com esforços para submeter um povo de forma a impor o controlo geo-estratégico da dominação imperial, que funciona como uma real ameaça à paz e à estabilidade na região. Recordamos, em particular nestes dias, que não só são os EUA o único país que, há 72 anos, utilizou armas nucleares no seu crime contra Hiroxima e Nagasáqui, como ainda hoje se recusam a não considerar a possibilidade de um primeiro ataque com armas nucleares.

O CMP reafirma o seu apoio à luta do povo coreano contra os planos imperialistas e em defesa da sua soberania, pela desmilitarização e o desarmamento nuclear da região e pela independência e reunificação pacífica da Coreia.

As Nações unidas devem respeitar e salvaguardar os princípios da sua Carta e não os violar.

9 de Agosto de 2017

Secretariado do CMP